quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Feliz Ano Novo!

É isso ae galera, to me despedindo.

Muito provavelmente amanhã a tarde (quarta feira) eu ja esteja na praia. Caraguá ai vou eu!

Retornarei no dia 09/01. Por enquento o blog entra em férias. Nesse périodo que estiver viajando, se conseguir ir a alguma lan house tento escrever alguma coisa, mas não prometo nada.

Fica o convite para que em Janeiro os campistas mandem para o blog as historias dos acampamentos pelo Brasil, engraçadas ou não. Pode mandar qualquer coisa que chamou a atenção nesses campings mundo afora.

Mais uma vez fica meu agradecimento a todos que tem visitado o blog e participado nesse primeiro mês de vida.

Um Feliz ANO NOVO! REPLETO DE MUITA SAÚDE E PAZ!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Feliz Natal campistas!

Hoje não postarei mais.

Afinal, hoje é véspera de natal.

Na quarta publicarei um pequeno balanço desse primeiro mês de vida do blog.

Hoje quero desejar um feliz Natal a todos que acessaram o blog nesses dias e que tem contribuído para seu crescimento. Ainda modesto, é claro.

Muitas felicidades, muita paz, saúde!

FELIZ NATAL!!!

Resultado da enquete.

Nove pessoas responderam a enquete:

Aonde vc vai passar o final de ano?

77% Vão estar acampando.
33% Salgando a carne pelas praias do Brasil.

Barraca automotiva.







Eu não conhecia. Acredito que muita gente também não.

Na noite de sabado estava passeando por Jundiaí, quando me deparei com uma caminhonete, acho que era uma Dodge, mas não tenho certeza, com um aparato encima do teto. Parecia uma caixa, mas no formato de pano, bem parecido com o material utilizado para barracas tipo canadense. Apenas as incrições: "Campíngs Word". Uma foto ao lado ilustrava o que aquilo poderia ser. Uma barraca no teto, mas fixada a ele. E quando se puxava uma parte, uma escada descia e uma barraca, meio iglu, meio canadense se montava facilmente. Por alguns minutos fiquei parado ali pensando como que aquilo poderia ser possivel.
Mas hoje fiquei fuçando na internet até achar o site dos caras. o Link está ai embaixo.
Fiquei surpreso como o que vi. E o melhor é que é possivel a adptação a qualquer carro. Tem fotos até em um fusca!

Não tenho a informação sobre o preço, nem da qualidade das barracas, bem como seus possíveis “estragos” no carro (não acredito) mas vou pesquisar. Assim que tiver uma resposta eu coloco no blog.

http://www.campingsworld.com.br/

sábado, 22 de dezembro de 2007

Como gelar cerveja ou refrigerante em dois minutos.

Este video que anda na internet ensina como gelar latas de cerveja, refrigerante em apenas dois minutos.
O video está em inglês, mas é tão simples que qualquer pessoa entende. Se quiser aprimorar o processo ainda mais, adicione a tigela um pouco de alcool 96º. Isso acelerará o processo.

Bastante util quando se chega ao camping e não tem nada gelado para beber.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

E a Nautika...putz...sem comentários.

Para por ponto final nesse assunto, coloco o ultimo email enviado pela Nautika a respeito do meu problema com as varetas.
Ja adianto que através da loja que comprei a barraca consegui solucionar o problema.
A seguir o email na íntegra. Preste atenção como fui chamado.

"Prezado Gustavo,
informamos que os produtos da nautika tem garantia de 6 meses com nota fiscal.
Caso haja novas dúvidas fico ao seu dispor.
Atenciosamente,
Almy FabianoAssistência Técnica(11)6462-4622 R:675"


Meu nome é André. Sobrenome, Augusto Dalastra. De onde ele tirou o Gustavo???

Se eu indico a Nautika? ah tá...mas nem capa de chuva!

Churrasco na Vala (parte II)


Nosso amigo, Alexandre, ensinando o famoso churrasco na vala. (antes que me perguntem a foto é da net e não do Alexandre).
"Cara, churrasco na vala não tem muito mistério, pois o segredo é a paciência. Pra começar, churrasco de vala não combina com picanha, maminha, filé mignon. O negócio aqui é a boa e velha costela! E mais um detalhe: se um dia vieres ao Rio Grande do Sul e fores numa churrascaria e te oferecerem "Costela 12 horas" (quer dizer que ficou 12 horas no fogo de chão), sai correndo. Pois eles fervem a costela e ela fica no fogo normal pra dar uma dourada. Carne feita em fogo de chão não fica macia, mas nada que quebre dentaduras tbm, heheheh...

Bom, sem chance de usar espetos comuns, tem que "fabricar" os espetos do churras de vala. Com os espetos de madeira na mão, espete a costela e se for preciso da uma "firmada" com um barbante. Nada de arame, pois se pega um pedacinho enferrujado, pode dar um estrago enorme na gurizada. Bom, Costela da espessura de mais ou menos um dedo (da base até a ponta da unha ou seja: grossa). A Vala vai ter mais ou menos uns 40 cm de profundidade e a largura vai depender da quantidade de espetos e carne, sempre um pouco mais larga e o fogo é com lenha (de preferencia com cerne dentro, aí a lenha dura mais), mas pode ser qualquer uma. Toca ficha no fogo e vai espetar a carne, salgar com sal grosso, e depois espeta o espeto no chão, de pezito, perto do fogo. E aí vai por umas 4 horas. Se a carne for mais fina, demora menos e fica mais dura. Quanto mais gordinha fora carne (em questao de gordura tbm) mais macia ela fica.

Algumas pessoas dizem que de tão macia, quando pronta e tu vai bater, o osso se desprende sozinho....Velho, não tem mistério. o legal de tudo é a função toda, fazer os espetos, cavar a vala, acender a lenha...tudo isso tem que ser feito com diversão. Normalmente quando isso acontece nos campings do sul, o dono do camping participa de tudo! E tudo regado a caipirinha, e eu como não bebo vou só no chimarrãozito...

Mais um detalhe: depois de dourar dos dois lados da costela, ta na hora de servir a carne. Daí "atora" fora a ponta do espeto e ta na hora de aproveitar...Mas muito cuidado: todo o processo é viciante! hehheheh. Grande Abraço!"

Com essas dicas eu ja quase abrindo uma vala no quintal de casa e espetando a carne...muito interessante! Valeu Alexandre.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Lona plástica sob a barraca?


Em especial ao campista Leandro Rampazzo, leitor e comentarista assíduo do blog.


Uma das questões que geram grande polemica no mundo campista é o uso de lona plástica sob a barraca. Esse uso de certa forma é uma tradição, e uma cultura existente entre os campistas mais velhos que o uso de lona é imprescindível. Mas será que hoje em dia com a tecnologia empregada nas barracas, com matérias mais resistentes e de melhor qualidade esse uso ainda é necessário?

Como seria usada a lona:
Colocada sob a barraca, e não deixando nenhum ponto para fora. A barraca ao ser montada encima deve cobrir todos os pontos da lona deixando a fora de vista.

Muitos campistas são contra o uso. Outros são a favor. Mas cada um conhece sua barraca, e sabe bem o que vai enfrentar.
Para chegar a uma conclusão, decidi listar os pontos positivos e negativos de se ter a lona.
Positivos:
1. Não suja o piso barraca, ou diminui consideravelmente essa sujeira.
2. Auxilia contra possíveis furos causados por pedras.
3. Diminui a sensação de raízes, e galhos no fundo da barraca.
4. Em uma barraca mais fraca poderá auxiliar contra a entrada de água pelo piso.
5. Minimiza o frio que emana do solo.
6. Se vc armar encima de um formigueiro, o problema vai ser menor.
7. Aumenta a vida útil do piso da barraca.

Negativos:
1. Ao invés de sujar a barraca vc terá a lona para limpar.
2. Uma lona mal colocada pode acumular água e fazer essa água entra na barraca.
3. A umidade deixada entre a lona e a barraca vai te matar de tanto frio.
4. Muitos dias úmidos este local prolifera bactérias e fungos.
5. Essa umidade pode apodrecer o fundo da barraca.
6. O peso da lona para quem faz trilhas faz muita diferença.
7. Alguns camping não aceitam lonas pretas, pois estas podem causar queimaduras.

As barracas hoje em dia são projetadas para serem usadas sem lonas. Mas barracas boas.
Barraca ruim, não tem solução. Não vai ser uma lona embaixo que vai ajudar. Vai encher de água por cima e por baixo.
Eu não recomendo as pessoas que tem uma boa barraca e vão acampar mais de um final de semana, em lugar aberto a colocar lona. A possibilidade de vc armar sua barraca em um local que passa um rio com a chuva existe. Neste caso se estiver com a lona, vai encher de água por todo lado e ficar úmido e acontecer o que já disse ai encima. Por isso não use.

Para quem vai acampar em camping, aquele lugar que vc já conhece, dificilmente chove, vai ficar uns dois dias, a barraca é emprestada do seu primo e ele comprou na casa de material de construção. Coloque a lona. Neste caso não tem (tem sim, mas são menores) problema, pois se chover, vc corre para algum lugar coberto no camping, se molhar tudo, no outro dia vc já vai embora mesmo (mesmo assim vai passar frio devido a umidade do solo, mas uma lona bem colocada só molha se chover muito.).

Uma outra opção recomendada por grandes campistas, seria o uso de tela mosqueteira, aquele de janelas. Também conhecida como piso ecológico, pois não agride o meio ambiente, essa tela deverá ser usada sob a barraca, no lugar da lona. Assim acabaria com o problema da retenção de água e umidade.

Essa é minha opinião. E ai campistas de plantão, concordam?

Como fazer uma fogueira corretamente.


Como fazer uma fogueira corretamente e não acontecer como a foto ai encima, que um bombeiro foi chamado para apagar o fogo.


Fazer uma fogueira é um dos maiores símbolos da vida ao ar livre.

No topo de uma serra, à beira-mar ou esperando o nascer de mais um dia, o ritual de ficar ao lado do fogo com os amigos - jogando conversa fora quando a noite cai - passa de geração para geração como uma das boas tradições da vida campestre.

Mas antes de riscar o fósforo é bom estar atento.Fogueiras mal executadas podem causar incêndios de grandes proporções, destruindo a flora e matando animais silvestres. Uma providência mais do que correta é perguntar à polícia florestal ou ao proprietário do terreno se é permitido fazer fogueiras nas redondezas. A região pode estar passando por um período de seca e, nesse caso, os riscos de o fogo se alastrar de forma incontrolável são mais do que potenciais.

Em áreas virgens, os cuidados devem ser redobrados. A melhor estratégia é separar a fogueira de focos de vegetação ou limbo seco, que podem fazer com que fagulhas se espalhem com o vento.O ideal é limpar uma área plana, isolando-a de focos de folhas secas a pelo menos 3 metros da sua fogueira. Um cuidado importante é cavar um pouco a terra, fazendo um pequeno desnível que impede que a brasa se espalhe. Pedras também funcionam como um método eficiente para isolar a fogueira. Evite, ainda, fazer o fogo embaixo de rochas: a fuligem pode ficar incrustrada nelas por anos. Na praia, o conselho é fazer a sua fogueira acima da linha da maré alta. Por segurança, faça o fogo apenas quando o vento estiver soprando da terra para o mar. Para a parte principal da fogueira, escolha toras de madeira ressecadas que não sejam maiores do que meio metro (mais ou menos o tamanho da área que vai do cotovelo até as mãos de um adulto).

Apanhe também ramos , capim e folhas secas, que ajudam a fazer o fogo pegar. Mas evite usar álcool, que pode causar queimaduras em quem o manuseia e até explosões.A fogueira que acende mais fácil é aquela em que os pedaços maiores de madeira são montados em forma de pirâmide, permitindo que um fluxo de oxigênio passe. Isso é vital para manter o fogo aceso. Os pedaços pequenos servem para atiçar o fogo, alimentando a fogueira até que as toras maiores comecem a queimar e se transformem, mais tarde, em brasa, ideal para cozinhar ou afugentar o frio.

Caso seus fósforos acabem antes de você conseguir fazer o fogo, mantenha a calma, ainda dá para acender sua fogueira. Um método bastante eficiente para fazer isso é usando uma palha de aço, que queima com apenas uma faísca e fogo, seja pela saída de um isqueiro sem gás, seja pela fricção de uma pedra contra outra, seja esfregando dois pauzinhos. Persista, que dá certo.Tão importante quanto acender uma fogueira é saber apagá-la e limpá-la.
Não use água para fazer isso, já que por reação química as brasas se transformam em carvão, que não se decompõe facilmente. O melhor é abafar o fogo. Em seguida, espalhe as cinzas pelo mato e guarde os restos maiores do carvão num saco de lixo. O grande barato da natureza é deixar o meio ambiente o mais próximo do que ele era quando você o encontrou, sem lixo ou restos de madeira queimada.

Fonte: Trilhas e Aventuras

Faça fogo com uma lata de coca-cola.



Vc pode fazer fogo com esses materiais numa região selvagem. Digamos que vc esteja com amigos em uma caminhada pela floresta ou num acampamento e deseja acender fogo, e nota que esqueceu os fósforos ou o isqueiro. Além da lata e do chocolate, vc precisará apenas de luz solar e de um pouco de um fungo que dá em árvores chamado de "tinder", muito fácil de se achar principalmente em floretas, onde praticamente se acha em quase todas as árvores.

O arquivo esta muito bem explicado, com fotos e um passo-a-passo. Hospedado no RAPIDSHARE

E digo de antemão que não testei. Se algum colega campista quiser fazer o teste, é só mandar para o blog que eu coloco.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Churrasco na vala?? Ora, bolas, coisa de gaúcho, tchê!



Ontem ao perguntar e postar sobre o uso da churrasqueira no camping nosso querido Alexandre do blog Barraca e Chimarrão, citou um tal churrasco na vala. É isso mesmo. Na vala.

É claro que eu fiquei com duvida, o que é isso?

Como ele mesmo disse qué é coisa de gaúcho e eu sou paulista desde que nasci (só sai de SP para ir para MG) quero aprender esse tal "churras na vala".

E convido o pai da criança para nos dar mais explicações. Logo publico no Blog.

Gostaria de agradecer também a todos que tem visitado o Blog, em especial a todos que tem inclusive comentado as matérias. Hoje (19/12) mesmo não postando nada, (tive um dia de cão, amanhã prometo recompensar) tivemos quase 30 visitas e mais de 51 pagewies. Para um inicio, muito bom.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Sombra é bom, menos a de um coqueiro...(Tópico atualizado - 20/12 / 00h15).



Sombra sempre é bom. Mas cuidado com a árvore que fará essa sombra.
Vai tomar uma "cocada" na cabeça a noite, ou então uma folha cai em cima da barraca e a rasga, ai vc acha que esta com azar?
O cara da foto da o exemplo do que não fazer.

Muito bem lembrado pelo campista Alexandre. Na foto se vê uma garrafa pet jogada para fora da barraca. Um enorme desrespeito com a natureza. Espero que quando o campista da foto foi embora, tenha jogado o lixo no lugar certo.

Lembra do SAC da Nautika?

Depois de quinze dias que enviei o email reclamando da qualidade da vareta que quebrou, a Nautika respondeu:

"Primeiramente agradecemos pelo seu contato e quanto sua solicitação, informamos que temos
a cruza para barraca falcon 4 pelo custo de R$ 20,00 mais despesas de envio. Caso haja
interesse na aquisição, favor informar seu endereço completo para cálculo."

Essa foi a resposta. Mas como tenho que pagar se usei somente algumas vezes, e isso em menos de uma ano? ta de brincadeira né Nautika?

Já respondi o email questionando isso. Vamos aguardar a resposta.

Churrasqueira elétrica. Eis a questão, levar ou não?



Vou começar dizendo a verdade. Eu levo. E levo quase sempre. Nem que for para esquentar o pão mucho no café da manhã.

Como acampo de carro, para mim que levo isopor, cadeira e mais um monte de coisa, a churrasqueira é o de menos. Já cheguei a levar a elétrica e a comum de carvão. Mas isso depende de quem vai, se se incomoda com churrasco na elétrica. Eu que gosto muito de "churras" como os Paulistas falam, sei que existe diferença, mas não que me incomode.

O grande problema das churrasqueiras elétricas é a voltagem que ela usa. Elas gastam muita energia e os campings não gostam disso. Já vi vários sites de campigs que aconselham o campista a não leva-lá. As desculpas são as mesmas "churrasqueiras elétricas queimam nosso fuziveis". Não sou eletricista para questionar se isso é verdade ou não, mas acho uma atitude um pouco errada principalmente por parte dos campings que não tem nenhuma área de lazer para os campistas, nem churrasqueiras. Quem mora em apartamento dificilmente tem uma churrasqueira de lata para levar.

Hoje no mercado estão a venda inúmeras opções de churrasqueiras elétricas a preços bem acessíveis. Em torno de trinta e cinco reais. Como tem voltagem Bivolt, nos camping isso faz a diferença.

Antes de sair de casa, verifique se o camping que irá aceita esse equipamento para que nenhum guarda encha teu saco depois que liga-lá. Se não aceitá-la, tente levar uma de casa, modelo pequeno, tenho uma marca MOR, modelo Araguaia, suficiente para um churrasco. Preço médio R$ 55,00 reais.

Se quiser fazer um churrasco, não puder levar a elétrica, não possuir a de lata, procure campings que tenham a churrasqueira como opção. Assim poderá-la usa-lá sem preocupação, mesmo sabendo que em épocas de movimento essas churrasqueiras ficam bastante disputadas.

O importante mesmo é se divertir!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

O que há de errado com a foto?


O que há de errado com a foto?
Amanha a tarde coloco a resposta, ou melhor a foto inteira.

Dicas para um bom acampamento.


Algumas dicas para um bom acampamento segundo o site Trilhas e Aventuras. Sempre vale a pena ler dicas, ou ouvir quem tem mais experiencia. Afinal sempre se aprende alguma coisa.
  • Respeite quem lhe proporcionou chegar até o acampamento. O caminho? A natureza que está nele e no local de destino, seja no campo, mata ou praia. Nada de apanhar mudas de plantas, flores, corais, cortar madeira de árvores, atirar lixo seja lá em que canto for, sujar riachos, rios, ou a própria trilha entre outros. Se você não respeitar esse local, provavelmente ele não existirá mais daqui algum tempo!

  • No camping selvagem (em muitos locais, já proibido por causa da falta de respeito de alguns usuários), nunca monte sua barraca próxima às margens de um rio. No caso de uma chuva forte, sua segurança e de tudo que levou podem ir por água a baixo. O mesmo serve se estiver na praia: nada de ficar próximo ao mar.

  • No caso do camping selvagem em mata fechada, sempre procure uma clareira ( local onde exista espaço aberto suficiente para montar o acampamento). Monte a barraca e a noite acenda uma fogueira; muito cuidado para não incendiar a floresta e a barraca, deixe uma boa distância entre a fogueira, a barraca e a mata, lembre-se da força do vento! Ele pode estar soprando no sentido de ambas. O fogo faz com que alguns bichinhos indesejáveis não se aproximem. Ai você diz: Mas eu gosto de animais! Respondemos: Nós também, mas sempre é bom evitar uma cascavelzinha, não é verdade?!

  • Para fazer essa fogueira, nada de ficar cortando árvores! Sempre existem gravetos espalhados pelo chão, assim como folhas caídas das árvores. Dica, apanhe as folhas e deixe-as sob os gravetos, acenda e eles com um tempinho, se queimarão, proporcionando a você uma boa fogueira.

  • Faca, isqueiro e/ou fósforo. Itens essenciais para qualquer acampamento. Deixar que os fósforos se molhem é mancada!

  • É aconselhável armar a barraca à sombra de uma árvore. À noite pode esfriar um pouquinho, mas você deve ter levado algo para se aquecer. Já durante o dia, o calor pode estar insuportável e uma sombrinha sempre ajuda! Mas, se houver ameaça de chuva, é melhor se afastar; há o perigo dos raios.

  • No camping selvagem ou não, sempre tenha à mão sacos de lixo, recolha tudo que utilizou e leve de volta ou se tiver alguém responsável pelo lixo no local, dirija-se a ele. Alguns lugares fazem coleta seletiva, tendo tambores próprios para plásticos, lixo orgânico etc. Não custa nada você ajudar!

  • Não deixe alimentos ao redor de sua barraca. Resto deles, nem pensar, eles atraem animais e você acaba transgredindo a dica anterior: lixo é no lixo.

  • Dobrem as roupas como um "rocambole": é mais prático para achar alguma peça e sobra mais espaço para a velha companheira de carga carregar outras coisas, como um kit de higiene pessoal (que é barra se você esquecer!).

  • Outra coisa chata de esquecer é o repelente. Caso tenha esse azar, amasse cravos-da-índia com álcool em um recipiente, deixando de molho por duas horas. Passe no corpo, mas cuidado com o fogo, espere o álcool evaporar.

  • Nada de guardar gás descartável ou botijões dentro da barraca. Eles podem vazar e causar uma explosão. Já presenciamos barraca pegar fogo por causa disso. Cuidado!

  • Fogueira - Para fazer uma fogueira mais rápido, faça um cálice com lenço de papel ou papel higiêncico enrolando nas mãos, depois encha o cálice com óleo de cozinha. Coloque o cálice com óleo no centro da fogueira, cubra com madeira. Agora é só queimar as bordas do cálice, o óleo segura o fogo e queima a madeira de uma forma mais eficaz.

  • Formigas - Depois da barraca montada faça uma fogueira, espere ela apagar completamente e separe suas cinzas. Faça uma pequena vala em volta de toda a barraca (depois das cordas) e vá despejando as cinzas. Isso afastará as formigas. Outra solução é fazer que todos os garotos e garotas façam xixi na vala (sem a cinza). Também funciona, mas o cheiro não é nada agradável. Tente a primeira opção.

  • Hidratação - Colocando um colher de chá de sal de cozinha por litro de água em seu cantil, você aumenta a quantidade de sais minerais presentes em seu organismo, possibilitando uma maior hidratação. 
  • Cobras - Para evitar o aparecimento de cobras, principalmente próximos a pedras, espalhe pedras de carbureto ao redor do acampamento. O cheiro ativo manterá elas afastadas.

Guia Fuja de São Paulo no fim de semana.



Em edição atualizada e ampliada, este guia traz programas inéditos e novas cidades a serem exploradas. Esta nova edição apresenta 2.120 programas em SP, sul do RJ e sul de MG; 200 cidades, 350 hotéis, pousadas, parques, campings e spas especiais para hospedagem, 250 restaurantes e 50 lugares que oferecem comidinhas deliciosas; roteiros cuidadosamente elaborados trazem programas completos e imperdíveis para manhã, tarde e noite. Publicação da Publifolha (Folha de São Paulo)

Preço nas livrarias: R$ 29,90.
A venda pela internet: http://publifolha.folha.com.br/catalogo/livros/135685/

Para maiores informações sobre o guia: http://www2.folha.uol.com.br/fuja/index.shtml

Parede para gazebo? Vale a pena?



Hoje navegando na Internet me deparei mais uma vez com as paredes para Gazebo. Fabricadas pela Nautika, podem sem usadas em qualquer tipo de gazebo.
A principio muito úteis...mas olhando com um pouco mais de cuidado, me pergunto vale a pena? Depende da estrutura que vc quer ter. Se quiser uma parede só, acredito que até vale a pena. Mas se for usar mais que uma, sugiro que que tente alguma coisa com lonas plásticas, grampos, cordas (fitilhos). E sabe porque? O preço. Meu, que caro isso! Uma simples parede custa de R$ 25 a 35 reais, dependendo da loja. Se levarmos em consideração que um gazebo nova custa em torno de R$ 80 a 100 reais eu acho muito caro, já que com três paredes quase se compra uma uma gazebo nova. Umas das vantagens dessa parede é a facilidade para ser colocada, já que vem com um sistema de velcros na ponta, basta passar em volta dos canos da gazebo e fixa-la.

Um alternativa é comprar lonas plásticas, preço médio de 8 reais, três metros e prender com presilhas plásticas, ou então colacar a lona através dos ilhos da mesma, amarrando nas pontas da gazebo.

Avalie como ira usar a lona, qtas partes de sua gazebo quer fechar, e como irá utilizar a gazebo. Fechar muito a gazebo pode fazer ela virar uma balão e com o vento o balão subir. Faça uma avaliação levado em conta o preço que irá gastar, as facilidades que terá para monta-lá. Assim poderá comprar com a certeza de estar fazendo um bom negocio.

NOVA ENQUETE. PARTICIPEM!

Hoje uma nova enquete para ser votada.
A pergunta é: Aonde vc vai passar o final de ano?

sábado, 15 de dezembro de 2007

Trilhas e Rumos


Ontem estive em uma loja aqui em Jundiaí que vende produtos para campistas. Loja muito grande e presente em todo territorio nacional. La encontrei produtos de algumas marcas, porem a marca que mais tinha produtos para venda era a Trilhas e Rumos.
Hoje conversei com meu companheiro Alexandre do blog Barraca e Chimarrão, que também gosta muito dessa marca e ele me disse que quem conhece se apaixona pela marca.
Tudo isso pela qualidade dos seus produtos, atendimento do pós vendas entre outras coisas...Os produtos realmente são muto bem conceituados no mundo do campismo, nunca ouvi ninguem se queixar da marca, seja qual for o equipamento.
Hoje não há como não recomendar a Trilhas e Rumos a quem me pergunta sobre equipamentos para campista.
Para maiores informações acesse o site, até o site dos caras é fera.
www.trilhaserumos.com.br

Isolante térmico, mais uma dica.



Os isolantes térmicos são muito importantes, principalmente para aqueles que gostam de viajar com mochilas nas costas e dormem em locais frios. Os sacos de dormir por mais caros e fortes que sejam, não isolam totalmente a temperatura do solo. Colchões infláveis ajudam, mas também não conseguem sozinhos isolar a temperatura e frio que sobe do chão. Estes tipos de isolantes térmicos industrializados são exatamente para este fim. Existem no mercado dois tipos, um fabricado de um material chamado: espuma EVA (Se lê soletrando). Este material não exala cheiro e isola o corpo tanto do calor quanto do frio que emana do solo. Pesa muito pouco, meio quilo. Na hora da compra sinta o cheiro. Cheiro forte significa material ruim. Existem tipos com lâminas de alumínio revestindo o corpo do dispositivo. O outro tipo é um modelo inflável,mais caro, alguns são auto infláveis, outros necessitam de um inflador, sua função é a mesma que o de EVA, porem este modelo pode ser mais confortável para ser carregado, já que antes de ser inflado é bem pequeno e leve. Os isolantes térmicos servem ainda para corrigir imperfeições do solo, dando mais conforto ao se deitar com um saco de dormir.Pode ser usado para se sentar em locais que chão é a única opção.

Outra opção caseira para quem ainda não tem um isolante térmico ir quebrando um galho: Coloque uma camada de jornal ou papelão no chão, embaixo da barraca. O jornal é um ótimo isolante térmico. Lembro das vezes que minha mãe enrolava o arroz no jornal e ele fica por uma hora quentinho fora do fogo.


Da série: Um dia eu vou pra lá!



Itambuca Eco Resort, localizado no litoral Norte de SP, na cidade de Ubatuba, o Itamambuca Eco Resort oferece infra-estrutura diferenciada, unindo todo o charme e a simplicidade típicos da praia, com serviços e acomodações que prezam pelo requinte e o alto profissionalismo. O Camping/Hotel esta localizada na mesma praia que leva o nome. Sol, mar e clima descontraído, em meio a uma paisagem paradisíaca...
Das cerca de 70 praias existentes no município de Ubatuba, Itamambuca é considerada a mais fascinante. Sua beleza natural e mágica atraem visitantes de todas as regiões do Brasil e do mundo. A praia ainda é sede de campeonatos de surf, realizado em períodos determinados, o que atraem uma grande quantidade de adoradores do esporte.

O hotel conta com três categorias de apartamentos: Master, Luxo e Bangalô, todos com varanda voltada para a reserva ecológica e decoração inspirada na temática praiana. Sua arquitetura – trabalhada com madeira de reflorestamento, bambu e vidro – confere gostosa sensação de frescor e proximidade com a natureza. Existem ainda chalés bangalós, para quem quer mais simplicidade.

Porém o hotel oferece ainda uma excelente área de camping, rodeada de árvores, para a montagem de até 120 barracas. O camping e os chalés-camping possuem, vestiários, pontos de energia (220v), limpa-peixes, estacionamento e segurança 24 horas. Todos as instalações estão bem conservadas.

O camping é belíssimo e ja foi recomendado por muitas pessoas. Porem todas essa beleza estrutura tem seu preço. Confira o preço para o pacote de Natal e Revelion.

O pacote do dia 19 ao dia 26/12 esta saindo por pessoa R$ 188,00 reais.

Para os dias 26/12 a 02/01 o preço é de R$ 398,00.

Para maiores informações acesse o site: http://www.itamambuca.com.br/

Um dia irei a este local, porem fora de temporada, porque com esse preço não dá!

Idéia de campismo! mais uma das boas.

"Camping não é para qualquer um, mas para os que estão abertos. É um espaço coletivizado, pede o convívio harmonioso, um acaba sempre precisando do outro. É como uma casa de todo mundo, então você precisa cuidar do espaço. As barracas não têm cadeado e tudo fica muito à mostra. Quem gosta de mordomia e não liga para os outros pode esquecer" − Rodrigo Echebarrena.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Dossiê – Saco de dormir

Mais do que apenas uma cama, o saco de dormir irá protegê-lo durante uma noite na natureza. Sentir frio no meio da noite ou mesmo morrer de calor a ponto de não deixá-lo dormir não significa que você não comprou um bom saco de dormir mas sim que você comprou o saco errado...ou então precisa de um isolante térmico.

Por ser um item fundamental, o cuidado na escolha é imprescindível. É importante que você considere como pretende usar seu equipamento, em que ocasião e situação etc. Vai acampar perto do carro? Irá usá-lo em acampamentos selvagens e, portanto, precisará carregá-lo dentro da mochila? Você só acampa em praias e em lugares quentes?

Selecione um saco de dormir com capacidade para a temperatura mais baixa que pretende enfrentar. Na dúvida opte pelo mais quente.

Lembre-se que é mais difícil se manter aquecido em um saco de dormir fabricado para temperaturas mais quentes do que se refrescar em um saco de dormir para temperaturas mais frias, um zíper aberto costuma resolver este problema em questão de segundos.

Itens a serem analizados antes da compra:


  • Temperatura: Os níveis de temperatura identificam a temperatura mais baixa que o saco de dormir pode manter uma pessoa aquecida. Cada fabricante estabelece um nível de temperatura, por isso estes números são um indicador e não uma garantia, além disso, estas temperaturas levam em consideração o uso de isolantes térmicos.

  • Conforto: Temperatura em que se sentirá bem no saco de dormir sem o uso de roupas muito pesadas

  • Tolerância: Indica que seria necessário estar vestido com o mesmo tipo de agasalho que usaria ao ar livre, pois quando dormimos ou estamos inativos precisamos mais proteção ao frio.

  • Extrema: indica que é necessário o uso de agasalhos extras para ainda se sentir confortável na temperatura indicada dentro do saco de dormir.

  • Garantia: O saco de dormir possui garantia de quanto tempo, o que ela cobre?

Formatos:

  • Camping ou Retangulares. Costumam abrir inteiramente, como um cobertor. Alguns vêm com capuz, ideal para locais frios, mas em geral são sacos para climas quentes, uma vez que a abertura maior deixa escapar o calor com mais facilidade. Para quem é um pouco claustrofóbico ou se mexe muito durante a noite, estes modelos são os mais indicados.

  • Múmia: acompanha o formato do corpo e aquece melhor. É mais leve e compacto. Alguns possuem zíperes e permitem transformá-lo em saco de casal (certifique-se de que os zíperes são em lados opostos, para que possam se unir). Alguns vêm com fitas compressoras para diminuir o tamanho quando guardados. . Uma das vantagens deste tipo de saco de dormir é que por obedecer mais à forma humana, o espaço dentro dele é aquecido usando o mínimo de calor do corpo. No entanto, se você tem certa tendência à claustrofobia ou é do tipo que gosta de se mexer muito dentro do seu saco de dormir, o formato sarcófago pode se tornar muito restritivo a você.

Isolamento:


  • Pena De Ganso: É o melhor isolamento natural. É leve, compacto e o mais durável disponível, porém não tolera umidade e demora para secar. É mais caro que o sintético e menos utilizado no Brasil, já está defasado e em desuso.

  • Sintético: Este isolamento oferece a vantagem de se manter mais seco em climas úmidos, mas é um pouco mais pesado que os de penas. Existem muitas fibras disponíveis, entre elas a de poliéster comum, quentes e econômicos. A maior parte dos isolamentos no Brasil são sintéticos. POLAGUARD® 3D: Esta microfibra é quente, leve e se comprime com facilidade.

A anatomia do saco de dormir

  • Capuz - A maioria dos sacos de dormir possuem um capuz que servem para cobrir sua cabeça quando está frio. Até 50% do calor do seu corpo pode ser perdido através da sua cabeça, então um bom capuz pode melhorar a eficiência do seu saco de dormir. Entre no saco de dormir, cubra sua cabeça e puxe a cordinha para apertá-lo um pouco. Você ainda consegue respirar, virar, rolar sem se sufocar? Perfeito então. O capuz deve ser um pouco mais acolchoado do que o resto do saco e quando usado, deve ainda ter espaço para seu gorro, caso esteja usando um.

  • Colarinho térmico - O colarinho térmico fica na base do capuz. Ele é feito para prevenir que você perca calor na região do pescoço e ombros. Sacos de dormir retangulares, feitos para o verão podem não ter colarinho térmico, mas eles são indispensáveis para quem vai acampar no inverno. O colarinho deve ser acolchoado o bastante para preencher o espaço entre seu pescoço e seus ombros, mas não tão volumoso senão você vai se sentir como se estivesse usando um tubo em volta do pescoço.

  • Caixa para os pés - Já que os pés ocupam um certo espaço no fundo do saco, muitos deles são feitos com suas bases retangulares, em formato de caixas mesmo para acomodá-los melhor. Em alguns sacos de dormir especiais para um inverno intenso, existe um espaço maior a fim de acomodar botas ou bolsas de água.

  • Costuras quentes: As costuras podem ser uma importante forma de perda de calor, pelos micro furos feitos pela agulha. Os sacos de dormir para temperaturas mais baixas possuem costuras "desencontradas" entre a camada interna e externa, não permitindo a fuga do ar quente.

  • Zíperes: Devem ser fáceis de manusear e abrir para os dois lados, pois poderá ser necessário com luvas.

  • Bolsos internos: Alguns modelos possuem práticos bolsos internos.

Os cobertores aluminizados podem aumentar em até 5°C a sensação térmica devido à refração do calor do corpo. Nunca durma ao relento. O sereno torna a sensação térmica mais fria e poucos sacos são impermeáveis. Mãos e pés precisam de proteção extra no frio.


Armazenamento


Após a viagem, tenha certeza de que o saco de dormir está completamente seco Guarde no saco original ou em um saco de algodão O saco de dormir não deve estar muito apertado, não enrole em elástico ou cadarço, isso pode destruir as fibras do saco de dormir e praticamente inutilizá-lo.


Manutenção

A lavagem do saco de dormir deve ser evitada ao máximo, pois o tecido pode ser danificado e a capacidade térmica diminuída. Lave o saco de dormir APENAS em máquina de lavar comercial, pois as caseiras, de abertura na parte superior danificam as fibras. A lavagem a seco não é indicada.

Usando dois sacos de dormir ao mesmo tempo

Um truque conveniente é usar dois sacos, um por dentro do outro, para que se tornem apenas um. Os fabricantes geralmente usam o mesmo zíper, e se os sacos de dormir tiverem zíperes parecidos eles podem muito bem ser usados em conjunto. Em situações em que você esteja enfrentando muito frio, coloque o saco mais grosso por cima, mas lembre-se que dois sacos de dormir juntos ainda fornecem menos calor do que um super protetor, pois existe mais espaço e movimento que acaba liberando o ar quente. Se você tiver um saco de dormir que esteja pensando em usar em conjunto com sua nova aquisição, não esqueça de levá-lo até a loja também para experimentá-los juntos.

E para alguns casais que gostam de estar sempre juntinhos, os fabricantes também pensaram neles. Comprando dois sacos de dormir, fale com o vendedor que deseja que o saco possa unir um ao lado do outro. Ele irá te mostrar e verifique que os ziperes estão posicionados corretamente um do lado direito e o outro do lado esquerdo. Então una-os para ter certeza que irá funcionar.

ATENÇÃO:

  • NÃO use máquina de lavar com abertura em cima – o agitador central destrói o enchimento do saco de dormir.

  • NÃO use sabão líquido ou detergente forte.

  • NÃO use secadora caseira.

  • NÃO pendure seu saco de dormir quando ainda estiver molhado. Estenda-o apenas, todo esticado, para que seque desta forma.

  • NÃO o guarde em um saco pequeno, comprimido.

  • NÃO seque ao sol – os raios UV prejudicam o náilon.

  • JAMAIS LAVE A SECO.

Instruções para Lavagem


Na máquina de lavar: Feche todos os zíperes e velcros e vire ao contrário. Para uma limpeza melhor, esfregue o capuz, o colar térmico e o pé com uma escovinha, um pouco de água e sabão de côco antes de colocar na máquina. Use apenas sabão de côco ou detergente biodegradável suave. O ideal é usar apenas ½ ou ¼ do sugerido pela máquina de lavar – a quantidade vai depender da sujeira do saco de dormir, mas nunca coloque mais do que o especificado acima. Não use, em hipótese alguma, amaciante. Lave com água fria e apenas no ciclo leve ou delicado. Para melhores resultados, faça funcionar o ciclo de enxágüe pelo menos mais uma ou duas vezes, sem detergente nem sabão. TODO o sabão do saco de dormir precisa ser retirado antes de secá-lo. Retire da máquina de lavar com muito cuidado e seque em uma secadora profissional, com mais espaço que a caseira, na temperatura mais fria possível – calor em excesso vai destruir o tecido e a capacidade de aquecimento das fibras. Verifique várias vezes durante a secagem se está quente demais, pois isso pode danificar o material. Retire assim que estiver totalmente seco – pode demorar entre duas e cinco horas – e deixe esfriar esticado.



  • Á mão Este é o método mais seguro de lavagem Coloque o saco de dormir em uma em um recipiente grande e limpo (ex. banheira), com água fria ou morna e detergente biodegradável suave ou sabão de côco. Massageie o saco até limpá-lo – entre 12 e 15 minutos. Escove levemente a parte externa, com uma escova macia, se existir alguma área muito suja. Dispense a água e suavemente exprema o excesso de água. Não torça o saco de dormir! Encha novamente com água limpa, massageie-o de novo deixando que a água limpa penetre nas fibras. Drene a água, exprema o excesso e repita esta operação até a água sair limpa e todo o sabão for retirado. Retire-o cuidadosamente do recipiente – não o faça se ainda estiver muito encharcado – e coloque em uma superfície reta, em cima de toalhas ou lençóis velhos, para mantê-lo limpo enquanto seca naturalmente. Não o pendure para secar – isto pode rasgar as fibras em seu interior. Conforme o saco vai secando, vire-o de tempos em tempos. Quando estiver praticamente seco, balance-o algumas vezes, para que as fibras voltem a ficar fofas.

Material

Não há um consenso universal quando o assunto é o melhor material para saco de dormir. Eles variam do simples poliéster/nylon ao impermeável Gore-Tex.

As maiorias dos sacos de dormir disponíveis possuem sua parte externa feitas de poliéster ou micro fibra de nylon que costumam ser muito suaves, leves e de certa forma resistentes à água e ao vento.

O Ripstop é também um forte tecido especialmente por ser super resistente ao rasgo. Uma pequena minoria de sacos de dormir são feitos de Gore-Tex ou Dry-Loft. O Gore-Tex, assim como o Dry Loft, é um tecido que permite a passagem da transpiração para fora do saco de dormir além de ser mais resistente à água do que a maioria dos tecidos de micro fibras.


Tecido
DryLoft (DL) – Este revestimento impermeável e respirável ajudará seu sleeping a manter o ar frio fora, suportar condensação, chuva leve, e até caso derrame alguma coisa, mas não é respirável como taffeta ou microfibra. É ideal para quem freqüentemente dorme sob proteção frágil, caverna na neve, ou em condições de tempo variáveis.

Gore-Tex (GT) – Leve, durável, e completamente impermeável, este tecido é amplamente utilizado na fabricação de bivy sacks, apesar de estar sendo substituído por outro mais respirável, o Dry-Loft, para fabricação do sleeping. Um bivy em Gore-Tex vai aumentar a temperatura de seu sleeping em até 15 graus Celsius.

Microfiber (MF) – Leve, flexível, mas menos resistente a água do que o Dry-Loft(menos caro também), microfibers tem a trama mais fechada com nylon ou polyester que respiram bem, ainda podem repelir vento e resistem a alguma umidade.

Propietary fabric (PF) – Alguns fabricantes possuem seus próprios tipos de tecido. Os nomes variam de marca para marca.

Propietary water resistant breathable fabric (PR) – idem.

Ripstop (RS) – Este durável tecido em nylon e plyester possui uma trama que imita um xadrez ou um losango como padrão para reduzir danos.

Sympatex (SY) – Um material respirável e impermeável usado na fabricação de bivy sacks.

Taffeta (TF) – Este tecido em nylon e polyester é menos durável mas mais flexível do que o Ripstop.


Enchimento/preenchimento

Down (DN) – Pena de ganso ainda é o padrão para máximo calor e mínimo peso e consumo de espaço. Estes modelos são duráveis se bem cuidados, apesar de secarem devagar e perderem espaço e isolamento térmico se deixados molhados.

Hollofil, Hollofil 2, Quallofil - Estes isolantes sintéticos terão uma performance parecida com os outros tipos, mas são mais pesados e volumosos do que as versões mais modernas, o que os torna mais baratos.

Lirelofts, Microlofts, Primaloft, Primloft 2, Thermolite Extreme - Estes outros tipos de isolantes sintéticos chegam mais perto da pena de ganso, porém não são duráveis. Indicados para utilização em curto período, são facilmente comprimidos e leves do que os tipos sintéticos apresentados anteriormente.

Dicas Adicionais

Saco de dormir molhado

Uma maneira simples de manter o seu saco de dormir seco é colocá-lo dentro de um saco plástico de lixo (e você ainda poderá aproveitar o saco de lixo). Se você possui um saco de dormir de pena de ganso, sempre o deixe secar antes de colocá-lo na mochila. Se possível, abra seu saco de dormir fora da barraca quando acordar e deixe-o lá até ter certeza de que a umidade tenha secado por inteiro. Mas cuidado com o excesso de sol! Então procure um lugar meio à sombra ou então o guarde antes que o dia esquente muito.

A maioria dos sacos de dormir vêm com DWR (durable water repellency coating) que nada mais é do que uma camada protetora contra água, por isso dê uma olhada no manual do seu saco de dormir para saber com que freqüência você deve aplicá-la.


Alguns bons sacos de dormir:


Denalí Kailash


Saco de dormir ideal para meia montanha e caminhadas por locais mais frios. Sua grande capacidade de compressão e aquecimento o tornam extremamente eficiente nestas situações. Leve e compacto, ocupa mínimo espaço durante o transporte.

Tecido Externo: Nylon Diamond Ripstop 70D (denier) 210T anti-rasgo, repelente à água, com tratamento de Teflon® Dupont
Tecido Interno: Nylon 70D (denier) 210T
Enchimento: Downloft® - Microfibra CPLF 160g/m2 x 1
Medidas (estendido): 220 x 80 x 57cm
Medidas (fechado): 20,5 x 32 cm (não compactado)
Peso: 1270 g (embalado)
Temperatura: 0 / 10ºC

* Formato "múmia"
* Fita protetora de zíper
* Bainha e colar retentores de calor
* Bolso externo com zíper
* Pode ser conectado a outro saco de dormir (direito / esquerdo)


DreamLite 500 Deuter


Saco de dormir ultra leve, criado para completar a linha de mochilas Speed Lite. Com um peso de 500 g, é ideal para pessoas que não desejam levar muito peso.
Peso: 500 g
Peso do Enchimento: 160 g
Dimensões (aberto): 205 x 75 x 48 cm
Dimensões (fechado):12 x 25 cm

Temperatura de Conforto: +17 ºC
Temperatura Limite: +15 ºC
Temperatura Extrema: +3 ºC

Enchimento: Fibra de Poliéster Polydown Soft
Material Externo: Deuter 210T Ripstop Nylon
Material Interno: Deuter 237T Nylon Tactel Taffeta

Construção em uma camada e bolso interno com zíper.


Expedition Kailash


Um saco de dormir ideal para meia e alta montanha. Sua configuração super compacta e respirável possui grande poder de concentração de calor, proporcionando conforto e aquecimento para o descanso do montanhista.

Tecido Externo: Nylon Diamond Ripstop 70D (denier) 210T anti-rasgo, repelente à água, com tratamento de Teflon® Dupont
Tecido Interno: Nylon 70D (denier) 210T
Enchimento: Downloft® - Microfibra CPLF 120g/m2 x 2
Medidas (estendido): 225 x 85 x 57 cm
Medidas (fechado): 22,5 x 35 cm (não compactado)
Peso: 1570 g (embalado)
Temperatura: -10º / 0ºC

* Formato "múmia"
* Saco para guardar com sistema de compressão
* Bainha e colar retentores de calor
* Fita protetora de zíper
* Bolso externo com zíper
* Pode ser conectado a outro saco de dormir (direito / esquerdo)


Micro Pluma Trilhas e Rumos


O saco de dormir Micro-Pluma, feito de uma fibra revolucionária chamada Microtech, pesa apenas um quilo e suporta temperaturas até 0oC (extremo). A fibra Microtech é uma recente evolução das fibras isolantes, feita de micro filamentos de apenas 0.7 denier (Denier é uma medida de espessura de fios. Um fio de cabelo tem 20 denier. Quanto maior o número, mais grosso é o fio.), que consegue reter mais ar, semelhante ao obtido com as plumas e penas de ganso (duvet). Ela aquece mesmo molhada, não retém tanta água, o que a deixa secar mais rápido que as outras fibras, e tem um bom isolamento térmico com menos volume, resultando em um saco de dormir bem mais compacto para o transporte.

O Micro-Pluma é o saco de dormir ideal para o clima das montanhas brasileiras ou, ainda, viagens ao exterior em altitudes baixas. Os peregrinos, que irão percorrer o Caminho de Santiago, encontrarão nesse novo saco Micro-Pluma um excelente companheiro.

Outra grande novidade é o loose-shell, nome em inglês que significa que este saco de dormir não tem costuras na frente e atrás, para evitar perda de calor pelos micro-furos feitos pelas agulhas de costura. O enchimento do saco é colocado revestido por uma camada de fino tecido isolante e preso apenas nas laterais.


Raptor Azteq


Confeccionado em termo-poliéster cirre, o que proporciona conforto, leveza e evita mau cheiro.
Prático e possui compactador com engates rápidos. O tecido externo é mini Ripstop Diamond 21DD.

Peso: 715 grs
Temperatura: 0ºC a 5ºC
Medida: 225x80x55cm,


Santiago Kailash


Saco de Dormir ideal para caminhadas longas em climas amenos, pois apresenta peso e volume reduzidos. De fácil transporte, Santiago também é recomendado para atividades como cicloturismo e motociclismo.

Tecido Externo: Nylon Diamond Ripstop 70D (denier) 210T anti-rasgo, repelente à água, com tratamento de Teflon® Dupont
Tecido Interno: Nylon 70D (denier) 210T
Enchimento: Downloft® - Microfibra CPLF 100g/m2 x 1
Medidas (estendido): 220 x 80 x 57 cm
Medidas (fechado): 17 x 30 cm (não compactado)
Peso: 1000 g (embalado)
Temperatura: 5º / 10ºC

* Formato "múmia"
* Fita protetora de zíper
* Bainha e colar retentores de calor
* Bolso externo com zíper
* Pode ser conectado a outro saco de dormir (direito / esquerdo)
* Acompanha saco de compressão


Super Pluma GELO Trilhas e Rumos


Novo modelo da linha Super Pluma, agora com resistência para até -15º C. Dupla camada com recheio em Microtech (micro filamentos de fibras siliconadas), que aumentam a retenção de ar e, conseqüentemente, aquecem mais. Feito em náilon ripstop por fora e náilon acetinado por dentro, possui costuras quentes, colar térmico e capuz. O zíper também é protegido para impedir a perda do calor. Para aumentar o isolamento, cada enchimento é envolto por um revestimento de pano. Pode ser usado como saco de casal quando unido pelo zíper. Para isso, certifique-se que cada saco possui o zíper em lados opostos (LEFT e RIGHT). Peso: 1,7 kg.

Dúvida de um colega campista.


Duvida de um campista para ser discutida. Recebi por email.

Acima armação de metal do campista Luis Rocha, retirada do site www.ocampista.com.br.

"Olá André, tudo bem?

Bom, sou meio que iniciante no camping, já acampei umas, 4, 5 vezes, a maioria no interior de sp, camping cabreúva, macuco, paineiras...enfim...

Tenho uma dúvida, eu gostaria de manter minha barraca na sombra e observei que muitos utilizam lona, o que faz com que sua barraca fique sempre a sombra e vc tenha uma 'varanda', onde pode comer, sentar, beber protegido do sol.

Aí vai minha pergunta, como faço para estender essa lona? Nos campings do interior eu amarrava essa lona nas árvores e pronto, mas para o camping que vou no fim de ano agora não tem nada onde ela possa ser presa. O que me sugere? Armação de ferro? Bambu? Onde consigo? Me ajude por favor, isso esta me perturbando bastante.

Conto com sua ajuda!

Abraço"

Minha resposta:

"O problema de esticar uma lona presa em arvores é o seguinte: Já vi uma tempestade em um camping em Atibaia que se tivesse alguma lona amarrada teria rasgado com certeza. O peso da lona com o vento pode quebrar a arvore e ela cair na sua cabeça. Pense nisso antes de amarrar sua lona.

Ande vai acampar? Vai levar de carro, ou a pé?

Vamos a sua duvida, imaginando que vá de carro e não precise andar muito.
Minha idéia ou sugestão. Conhece aquelas barracas Gazebo, coloquei uma foto no blog esses dias. Acredito que seja a melhor opção. Essas tendas tem tamanho de 3X3 e custam mais barato que uma estrutura de metal (que não sabemos se vai ficar boa) e um pouco mais caro que uma lona plastica de qualidade.Um investimento que vale a pena, pois vai usar muito essa tenda.Ela tem cobertura de plástico e vc pode colocar a entrada da sua barraca embaixo dela, e terá uma área muito boa para o que necessitar.
Armação de Bambu? Exceto se vc for um índio eu não aconselharia...vai gastar em uma lona de 3X3 uns 40 a 50 reais..mais o bambu....será que vai ficar bom?será que vai agüentar? A gazebo te garanto que agüenta, não tempestades mas chuvas e ventos sim.

Um problema também é área de campismo que vc vai. Se informe sobre o espaço para montar sua barraca e tenda."

Campistas de plantão, alguém tem mais idéias para ajudar nosso colega?

O que os Camping NÃO tem, mas DEVERIAM ter!


Muitas dos itens citados abaixo se encaixam em algum camping que vc conhece. Talvez ele cometa apenas uma destas falhas...acho difícil o camping cometer todas as citadas, se não ta teria fechado...Enumerei nove situações que mais me incomodam. E vc concorda? Boa leitura.

  1. Mais banheiros (mais limpos e organizados) Quantas vezes vc foi ao banheiro e estava aquela calamidade. Todo sujo, a descarga do vaso sanitário quebrada, a porta que não fechava e tinha q ficar segurando com o pé. Tem lugar que a porta é tão alta que nem precisa ter, da até para dar uma tchauzinho por debaixo, papel higiênico é raridade. Mas tenho que defender os camping agora. Tem muita gente que esquece o papel higiênico em casa e quando chega no camping pega o rolo inteiro e esconde na barraca...pô gente vamos lembrar do próximo.
  2. Chuveiros com aquecimento a gás. Putz, tem coisa melhor do que no frio, aquele chuveiro com bastante água e bem quentinho. Os chuveiros elétricos dos camping são de doer. Primeiro porque cortam ou retiram a resistência e o chuveiro só funciona no morno, ou tampam a saída de água e ele fica só pingando na cabeça, nada de ducha...ainda bem que os campings que reformam seus banheiros estão optando pela opção a gás.
  3. Uma iluminação melhor. Um poste de luz a cada vinte e cinco metros, com uma lâmpada pequena não dá. Se esquecer a lanterna e o banheiro for longe...
  4. Toboáguas.Os campistas adoram, principalmente as crianças Aos que não tem, favor providenciar, aos que já tem, uma manutenção de vez em quando é bom...aquele toboáguas que nunca foi encerado, queimando as costas, as pernas...aff..
  5. Um local para caminhada. Você pode estar pensando que isso é uma besteira né? E para muitos realmente é. Mas muitos camping não tem uma área para os esportistas caminharem, correrem...muitas pessoas sentem falta disso quando estão no camping. O fato de ter essa área poderia atrair muito mais visitantes, de uma classe diferente.
  6. Lan House. Agora pirei de vez né? Eu não quero nem saber de computador quando estou acampando. Mas será que todos são assim? Em um mundo globalizado, muitos empresários campistas ou outras pessoas que precisam não tem. Talvez hoje não seja tão real essa necessidade, mas em um futuro acredito que isso acontecerá.
  7. Uma área de camping gramada. tem camping que força o campista a armar a barraca em cima de terra batida, pedrisco...Mas tudo bem, na próxima vez que for acampar levo minha furadeira, minha marreta...
  8. Mais opções de restaurantes e lanchonetes. Quantas lanchonetes ou reaturantes tem no camping? Uma, duas? E o preço é o mesmo? Com mais opções de alimentação o campista poderia levar menos coisa de casa, gastar uma graninha no camping, ajudar o tio da lanchonete...Todos saímos ganhando.
  9. Monitores de recreação. São poucos os que tem. Mas as crianças adoram e até os adultos entram na brincadeiras. Os monitores são contratados apenas em feriados e períodos de alta ocupação. Um erro. Eles deveriam estar todos os finais de semana nos campings, seria muito mais divertido.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

O que é um Anorak?



A função do anorak é a de proteger principalmente contra o vento, porém, hoje em dia a maioria também protege contra a chuva. Também podem ser chamados de abrigo de sobrevivência, pois são dotados de sistemas de impermeabilização.Podem ser levados no bolso da mochila, alguns possuem compartimento no próprio capuz para ser guardado. Existem anoraks para todos os gostos e bolsos e o critério para se escolher uma anorak com um bom custo/benefício é primeiro saber para onde você irá com ele. Se você for usa-lo em montanhas nevadas fora do Brasil o melhor e comprar um anorak com Gore-tex® pois este sistema não deixará o seu suor condensar-se e consequentemente virar gelo. O que depois vai derreter e te deixar todo molhado por baixo do anorak. Agora, se você pretende usa-lo aqui mesmo pelo Brasil não adianta comprar de Gore-tex® pois você só irá desperdiçar dinheiro e além de tudo irá acabar ralando um anorak caro em ramos de árvores e vegetação. Compre um anorak nacional, impermeável, com zíperes de ventilação da Mont Blanc ou da Manaslu, por exemplo. Você vai pagar no máximo uns 190 reais e vai ter um senhor anorak que vai agüentar pau uns bons anos!
Fonte: http://www.azimutantes.blogspot.com/

HIDROSTERIL


Ja imaginou vc ir para aquele camping nota dez, afastado de tudo, muito sossego e ao chegar lá, descobre que a unica fonte de agua, é uma bica que vem da serra, e o pior é vc esqueceu a agua mineral la na sua casa. Mas todos afirmam sobre a bica de agua: "pode beber sem medo, é agua pura, não faz mal". Ai vc toma aquela agua e no dia seguinte ta com uma diarreia, vomitando até as tripas e fica se perguntando: "o que será que me fez mal?"

Bom se vc conhecesse o Hidrosteril não teria esse problema. O Hidrosteril e um produto em gotas usado por montanhistas, aventureiros, que precisam de água potável sem ter como leva-la de casa, ou então na higienização de alimentos quando necessário. Muito útil para ser usado até mesmo em casa na preparação de alimentos, até porque o produto elimina restos de agrotóxicos e fungicidas.

Hidrosteril possui em face de sua formulação uma absoluta eficácia na esterilização de águas, frutas, verduras, legumes e utensílios, tornando-os bacteriológicamente limpos e preservando suas qualidades naturais.

Como funciona: Para purificação de Água.
Duas gotas para cada litro de água cristalina que pretende usar. Aguarde 10 minutos para utiliza-la normalmente.

Como funciona: Frutas , Verduras e Legumes.
Lave bem os alimentos que se pretende higienizar afim de livrá-los das sujeiras, visíveis tais como terra, adubo, carunchos, vermes, etc. Coloque-os em um recipiente não metálico e cubra-os com água, adicionando 10 (dez) gotas de Hidrosteril para cada litro de água em que estão imersos os alimentos. Aguarde por 10 (dez) minutos e utilize-os normalmente sem lavá-los novamente para não correr riscos de recontaminá-los.

O produto serve também para esterilização de frutas e verduras, mamadeiras e outros objetos. Pode ser encontrado em qualquer farmácia a um preço médio de R$ 6,50 o frasco com 55mm.

Para maiores informações acesse:

http://www.saggiodobrasil.com.br/

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Pernilongos,o terror dos campistas!



Umas das pragas que aterrorizam os campistas, são os insetos. Mais precisamente os pernilongos e borrachudos. Sem vc não conhece borrachudo vá para Ilha Bela e fique dois dias sem passar nenhum tipo de repelente...vai voltar como eu voltei uma vez....tomei nas pernas mais de oitenta picadas de pernilongos e borrachudos. A certa altura eu nem sabia mais o que era o que...me enterrava na areia ou entrava na água do mar gelada no inverno para não ser picado mais ainda. Nem para comprar repelente dava, pois fomos de barco até uma região deserta e inacessível por terra. Ficamos lá metade do tempo que estava programado inicialmente, em um grupo de quase trinta pessoas ninguém agüentava mais.

Esses dia me perguntei, o que deve ser feito para repelir insetos ou não ter esse problema quando se esta acampando, fui atrás de algumas alternativas encontrei muito coisa engraçada e nada alem do que muitos já sabemos.

Dicas legais:

  • Fechar sempre a tela mosqueteira da barraca, nunca a deixe aberta mesmo de dia, assim já evita que insetos entrem e te incomodem a noite.
  • Vela de Citronela, ajudam a afastam os insetos mais comuns.
  • Repelente. De preferência em loção pois sua ação é mais duradoura.
  • Repelente no cabelo. Sim, no cabelo, não só no corpo. É no cabelo que se concentram os odores (lembra das festas onde as pessoas fumam? Quando vc vai para casa seu cabelo não cheira a cigarro?) Então, no cabelo vc deve passar bastante repelente. Não faz mal, acredite.
  • Óleos repelentes são mais grossos e protegem contra uma gama maior de insetos (procure um farmacêutico, ele te aconselhará melhor)

Dicas duvidosas:(eu não indico, fica ao gosto do campista) se algum já usou e realmente valeu a pena nos conte.

  • Complexo B. Há pessoas que acreditam que, tomadas durante 10 dias, diariamente, as vitaminas do complexo B acabam se acumulando no fígado e, quando eliminadas no suor, afastam os hematófagos (parasita que se alimenta de sangue)
    Não há experimentos com rigor científico que comprovem, porém, muitos militares tomam antes das missões em áreas endêmicas, para evitar a malária.
  • Comer alho durante uma semana. O alho supostamente agiria como o complexo B.
  • Aparelho elétrico ou a pilha que imita o som do macho do pernilongo. Funciona emitindo um chiadinho imperceptível ao ouvido humano. O som do macho afasta a fêmea (só quem pica é a fêmea), pois o macho se alimenta do néctar das flores.

Outras idéias, essas são só para contar.

  • Dormir sujo afasta os insetos.
  • Lata com óleo diesel queimando fora da barraca. Cuidado para não causar um incêndio.
  • Colocar cal ou sal em volta da barraca...ta bom...eu tb não sei pra quê...

Columbia é patrocinadora do Dakar 2008.



A marca Columbia, tradicional fabricante de barracas, vestuários e equipamentos para montanhismo estará patrocinado mais uma vez Rally Lisboa Dakar (antigamente conhecido com Paris-Dakar). A marca participará com toda a parte de vestuários, calçados e equipamentos aos corredores. Ainda não se sabe se fornecerá também as barracas para os corredores dormirem. Isso pq cada corredor tem patrocínio de empresas diferentes, sendo assim a Columbia pode até fornecer as barracas porem não tem exclusividade.
A francesa Quechua esteve presente na edição do Rally 2007. Os competidores usavam barracas modelos "seconds" mais fáceis de armar e desarmar.
www.dakar.com

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

E a Nautika continua dando dor de cabeça!



Mais uma direto do Orkut. Ja havia falado na Nautika a alguns dias. Hoje não recomendo a compra. Existem no minimo duas opções de barracas melhores para compra no mercado a preços equivalentes. Tenho um a Falcon 4 que até hoje aguentou bem o tranco...exceto a
vareta de fibra de vidro que não durou nada...mas em relação a chuva e condensação ainda não posso reclamar, porém pelo que tenho ouvido tenho até medo de pegar mal tempo com ela e sinceramente ja penso em uma barraca nova para 2008.
Segue o relato com algumas observações em negrito de minha parte:

A Nautika está vendendo uma barraca que é uma verdadeira piada de mau gosto. O modelo é a Explorer 6. Depois de comprar e montar a barraca você encontra dentro do quarto o seguinte aviso: Cobrir a barraca com uma lona ou gazebo (tenda de praia). Piada? pior que isso falta de respeito, ja imaginou se tivesse escrito "Agora reze para não tomar chuva".

Isso significa que ela não aguenta nenhuma chuvinha por menor que seja. "Imagina a situação. Vc viaja dois dias a pé e quando chega no local percebe que vai dar aquela chuva, abre a barraca e lê a orientação dentro da barraca "proibido tomar chuva".Pega a barraca e faz uma linda capa de chuva. Mas acho que para isso tb não serve não...
Ah...uma dica que muitos sabem. Assim que comprar uma barraca, ou então quando for acampar novamente depois de muito tempo, monte-a no quintal de casa, do vizinho, em algum lugar para checar a situação que se encontra. Depois de uma compra é importante para saber se existem defeitos e se tudo encontra-se como deve. Depois de muito tempo parada, faça a mesma coisa, nunca se sabe se um grilo, uma formiga comeu o teto da sua barraca, ou se seu irmão caçula resolveu brincar de índio e fez uma fogueira dentro da barraca...pior vai ser descobrir isso quando for arma-la no destino final.

De fato, bastou começar a chover e houve infiltrações por todos os lados. A barraca é feita na china com material de péssima qualidade e a Nautika agiu de má fé pois sabia muito bem a porcaria que estava vendendo, tanto que colocou o aviso dentro do quarto para você ler apenas depois de comprar. Não tem problema não, ninguém mais compra essa porcaria!

Cuidado campistas!!! Ta difícil ser campista ultimamente...com tantas marcas e lojas, tome muito cuidado ao comprar sua barraca..compre marcas conhecidas e de preferência para lojas confiáveis, que se pode reclamar e trocar peças quando necessário. Mercado livre? Bom, ao gosto do freguês...ou melhor ao gosto do campista...mas se tiver algum problema daqui a alguns meses será que o vendedor ainda vai estar lá? Pense bem!

domingo, 9 de dezembro de 2007

O que fazer em um dia de chuva.



Uma das situações muito comum que o campista pode enfrentar quando acampa e o mal tempo. Até porque campista não se interessa muito por previsão do tempo (digo por mim, já tomei um monte de chuva). Depois de algum tempo a gente vai aprendendo a lidar com estas situações. Essa é uma situação que deve ser pensada antes mesmo do inicio da vida de campista. Deve ser pensada quando decide comprar uma barraca. Mais uma vez, lembrando, se quer evitar situações constrangedoras e caóticas compre uma boa barraca, de preferência por marcas conhecidas e recomendadas. Para isso fique atento a um detalhe no ato da compra, coluna da água do teto e do piso da barraca. Uma boa barraca deve ter teto e piso a partir de 1000mm de coluna d’água.
 
Umas das opções para se lidar com esses momentos são as tendas modelo Gazebo. Elas oferecem uma área maior para se proteger alem de oferecer abrigo aos equipamentos, até mesmo para as barracas mais fracas, que não suportam água. Outra alternativa para quem acampa em campings fechados é acampar próximo a área de lazer cobertas, aquelas áreas onde se tem as churrasqueiras, ou lavador de pratos. Assim em caso de emergência vc corre para lá...mas fecha a barraca antes pelo menos! Uma lona reserva de plástico é bom ter. Seja para por encima da barraca, ou cobrir algo que não pode molhar. Cuidado ao cobrir a barraca para que o vento forte não leve a lona junto com sua barraca pelos ares...
 
Mas o que fazer quando se esta no acampando e aquele dilúvio em cima da barraca? Dormir, jogar baralho, pular na piscina, namorar...cada um faz aquilo que gosta, que mais lhe convém. Quem leva radio ou TV nesta hora ganha um importante aliado. Quem esta em um local aberto (parques, montanhas) não tem, por exemplo, a opção piscina, não tem lanchonete no camping, por outro lado pode ter uma linda lagoa de água azul para poder dar um mergulho.
 
Uma coisa é certa: Mantenha a calma e o bom humor. Quanto de nós já tomamos chuva acampando ou pior, quando se está chegando, armar a barraca e arrumar todas as coisas com chuva...pergunte a algum amigo campista se ele já armou sua barraca em baixo de chuva. A maioria de nós campistas dirá que sim. Isso é normal, principalmente em um pais tropical como o Brasil, nem vou falar de São Paulo.... Como me disse um colega campista certa vez “Nestas horas que ficam as historias que vc vai contar para os outros” Verdade.
 
Alguem tem mais sugestões, nos conte!

 

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Cuidado com o final de ano.


É ...o fim de ano se aproxima e logo começa a procura para passar o Natal e o Revelion. Nós campistas, temos de certa forma facilidade de encontrar locais novos para acampar, pois existem muitas opções de campings em todo Brasil, muitas no estado de SP (clique aqui para acessar um guia de campings gratuitos). Um dos grandes problemas nestas épocas do ano, como em outras, é a capacidade destes locais de abrigarem um número de pessoas muito acima do normal, as vezes esse numero chega a ser quase quatro vezes maior que em um dia normal. Certa vez conversei com um monitor, do qual não me lembro o nome, que mora em Itu-SP e trabalha em campings desta região. Na ocasião da conversa estava acampando no Camping das Pedras nesta cidade, e ele me disse que Revelion e Natal constumava trabalhar no Camping Cabreúva. Lembro-me bem de suas palavras: “ passar natal e revelion nestes locais é loucura”. O camping que em dias normais não chegava a ter tres mil pessoas, nos feriados, tinha quase DEZ MIL PESSOAS!!!. Os monitores que geralmente trabalham em duplas...eram ao total de dez, mesmo assim impossível cuidar de crianças que eram mais de mil. “Era uma correria, muita gente, impossível de darmos atenção a todas”.As condições do banheiro e piscina eram precárias. Não porque o camping deixava de limpar, ou conservar estes locais, mas sim pq era impossível mante-los limpos.

Outra questão a ser pensada é a segurança dos campistas. Muita gente sem ser campistas e ter este espírito esta em locais assim, vai convidado e atraído muitas vezes pela estrutura do local a um preço equivalente. Nunca me aconteceu nada acampando, ou melhor, certa vez esqueci meu shampoo no banheiro e me lembrei somente quando cheguei a barraca...alguns minutos foi o suficiente para que não o encontrasse...mas foi falha minha ter esquecido....

Isso não é exclusividade dos campings aqui citados. A grande maioria sofre destes problemas nestas épocas. Meu conselho; Avalie bem o local que pretende acampar, conheça um pouco mais perguntando para pessoas que já foram principalmente nestas épocas, leve material extra (papel higiênico não vai achar mesmo!), cuidado com seus pertences, principalmente os de valor e muito cuidado com crianças. Nunca é demais se previnir.

A mochila ideal

Materia interessante e bastante util aos campistas exploradores.


por Claudia Severo - Mochileiros.com

Antes de se empolgar com aquele modelo bonitão pense que a mochila ideal é aquela que se encaixará às suas atividades durante a viagem e à sua estrutura física.

Atente que as mochilas para longos percursos e períodos, ao autêntico estilo "mochilão", são desenvolvidas para transportar "carga" (chamadas de mochilas cargueiras).
Numa viagem mais prolongada e quase sempre sem grandes comodidades (como ônibus na porta), a escolha da mochila é um tanto "elaborada" - o que faz parte do prazer de viajar de maneira independente! Conforto, resistência e praticidade são as pedidas na hora de desembolsar seus preciosos reais!

Fique atento:
A mochila cargueira geralmente tem armações internas e ou externas (de alumínio, por exemplo), ombreiras (alças semi-rígidas/acolchoadas), barrigueira (que envolve o abdômen) e o corpo (de nylon e/ou outros materiais).
Armações internas dão maior sustentação à mochila; já as externas podem enroscar em galhos de árvores numa trilha, por exemplo.
Ombreiras muito estreitas podem "cortar" seus ombros; as muito largas podem machucar suas axilas.

Além de não serem lá tão baratas, se esses detalhes passarem despercebidos podem lhe dar dores de cabeça futuras, por isso a importância de pesquisar bastante e optar por bons fabricantes na hora da compra. Eles usam critérios ergonômicos e as mais avançadas tecnologias nos tecidos e outros materiais empregados na confecção.

Tamanho
Quando falamos em tamanho de mochila, logo nos vem à mente: para que a usarei e por quanto tempo? Correto, mas há ainda que se levar em conta que a "companheira" deve ser compatível com seu dorso (ligação do pescoço à bacia).

Além disso, preste muita atenção aos ajustes das ombreiras. Caso as alças estejam longas demais, a mochila acabará puxando seu corpo para trás, sobrecarregando seus ombros. Para as mulheres então, mais sufoco: a mochila começa a pular sobre o quadril das de bumbum mais "avantajado"! Já as alças curtas podem render uma bela dor na parte superior das costas.
O tamanho ideal é aquele que não causa desconforto para ombros e coluna.

O tamanho da mochila é determinado pela sua capacidade em litros. As de até 40 litros podem ser consideradas pequenas, de 45 a 60 médias e as grandes ou cargueiras suportam 90 litros ou mais.

Hoje há interessantes modelos expansíveis, ou seja, uma mochila de 50 litros + 15 litros (totalizando 65 litros se esticar o "pescoço" dela) por exemplo. Existem também as com frente destacável que podem funcionar como boa mochila de ataque (pequena, para trilhas de curta duração) enquanto sua mochilona "repousa" no locker do albergue.


Detalhes também ajudam no "rendimento" da mochila: bolsos laterais e internos, zíperes nas partes inferiores e superiores são interessantes para separar a bagagem e manter alguns itens sempre à mão.

Pra não errar: Com a mochila nas costas (cheia de preferência), observe se ela é mais baixa que sua cabeça, mais estreita que seus ombros e se forma um perfil achatado! Se sim, você terá grandes chances de ficar contente com ela.

Antes de comprar, vista a mochila e se possível coloque alguns itens dentro da mesma, faça os ajustes necessários, dê uma voltinha pela loja e "sinta" antes, o que levará para casa. Se comprá-la pela internet, verifique todo o tipo de informação sobre o modelo que escolheu e peça dicas a outros viajantes!

Arrumação: compartimentos e como distribuir o peso na mochila
Seja pra onde for e quanto tempo ficará lá, não leve a "casa nas costas"; pra isso é melhor alugar um motor-home! Leve somente o necessário.

Para leves e curtas caminhadas pense basicamente na mochila de baixo para cima:
1 - saco de dormir
2 - material leve
3 - e rente às costas o material mais pesado.

Para grandes cargas pense em:
1 - materiais pesados
2 - saco de dormir
3 - (não necessariamente rente às costas) o material mais leve.

Atente para não levar objetos pontiagudos desprotegidos em qualquer um dos casos. Vale ressaltar que estas são apenas dicas e que cada um certamente encontra uma maneira muito peculiar de fazer com que a mochila fique confortável.

Penduricalhos extras
As presilhas externas da mochila servem para que você pendure lanterna, panela, isolante térmico, barraca etc. Tem muita gente que não gosta de ficar parecido com uma árvore de natal e tenta ao máximo acomodar tudo dentro da mochila. Além da aparência, em uma área externa livre isso pode evitar que se enganche em galhos de árvore ou até mesmo derrube aquele "spot" da banca de jornal da rodoviária! Se for inevitável, experimente colocar algum item na vertical e não na horizontal.
Abuse dos bolsos para colocar as coisas que quer sempre à mão: cantil, canivete, câmera fotográfica (dependendo do tamanho), capa de chuva, aquele lanchinho etc.

Acomodando as roupas
Há os que prefiram fazer um "rocambole" das peças, outros enfatizam que dobrar é a melhor opção. Faça um teste com ambas.
Também é recomendado embalar em sacos plásticos as peças que levar. Mesmo feita de um bom material a mochila pode molhar e lá se vai a esperança de uma roupa limpinha e sequinha! Ah, depois, os sacos acabam servindo para embalar a roupa suja até que você meta a mão na massa e encare a fila do tanque ou leve-a à lavanderia mais próxima.
Roupas leves e de tecidos que não amassem são pedidas tanto para lugares frios como quentes. Uma roupa pesada não necessariamente é quente, assim como uma leve não necessariamente é fresquinha (atente para os tecidos e tecnologia empregada).

Checklist
O bom equilíbrio da mochila é fundamental para o conforto e desempenho do usuário.
Evite carregar embalagens pesadas de vidro, quadradas, pontiagudas ou muito rígidas.
Não esqueça de levar (sugestão):

- Sacos plásticos
- Kit primeiro socorros (com os paliativos básicos que costuma utilizar em casa)
- Cantil
- Capa de chuva e capa impermeável para mochila (há boas opções no mercado)
- Canivete multifuncional ou faca comum, abridor de lata/garrafa, tesoura e alicate
- Lanterna de mão e ou cabeça
- Pilhas
- Óculos de sol
- Boné ou chapéu
- Protetor solar (pele e lábio)
- Produtos de higiene pessoal ( escova de dentes, creme e fio dentais, pente, escova, desodorante, sabonete, shampoo e condicionador, ou dois em um, cortador de unhas, barbeador/depilador etc)
- Fósforo ou isqueiro
- Varal
- Purificador de água (Ex. Hidrosteril)
- MP3 player ou Walkman
- Equipamentos para captura de imagem (máquina fotográfica, filmadora, celular com câmera etc)
- Binóculos
- Toalhas de banho
- Saco de dormir
- Isolante térmico
- Bolsa protetora para mochila (tipo uma rede protetora, muito útil para transportar a mochila nas esteiras de aeroportos ou em tetos de ônibus "capengas" mundo a fora!)
- Cadeado
- Roupas e calçados apropriados para o que fará e onde fará. Atenção aos calçados, eles devem estar já amaciados. Ah e meias extras!
- Barraca e utensílios para camping (panela, fogareiro, prato etc),caso tenha intenção de acampar.
- Documentos pessoais (vistos, passaporte, comprovantes de vacina, bilhetes de transporte e ou reserva de albergues/hotéis caso os tenha).
- Informação! Muita informação!